19.11
Os ODS e a Educação para a Sustentabilidade

Por Barbara S. Przybylowicz Beuter*

Dentre os 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável, lançados pela Organização das Nações Unidas em 2015, a questão da educação ganha destaque por meio do ODS 4 descrito como “Assegurar a educação inclusiva e equitativa de qualidade, e promover oportunidades de aprendizagem ao longo da vida para todos”.

Para além do foco na educação básica, todos os níveis de educação estão contemplados nesse ODS, que reitera ser fundamental a promoção de uma educação inclusiva, igualitária e baseada nos princípios de direitos humanos e desenvolvimento sustentável.

A ONU já foi responsável por liderar diversos movimentos globais em prol da melhoria das condições de vida no planeta. A educação também foi pauta prioritária na época da implantação dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) entre os anos 2010 e 2015.

O ODM de número 2 defendia a “Educação básica de qualidade para todos” e os relatórios de desempenho do final do ciclo demonstraram que o Brasil teve um resultado satisfatório registrando um aumento de 19,12% no investimento em educação básica entre os anos de 2011 e 2012, totalizando R$ 114,3 bilhões. Além disso, em 2009, 95,3% de crianças na faixa etária de 7 a 14 anos frequentavam o ensino fundamental, enquanto mais de 50 milhões de crianças e jovens, ou seja, 98% dessa população, tinha acesso à educação básica, e 75% dos jovens que haviam atingido a maioridade concluíram o ensino fundamental. (http://www.odmbrasil.gov.br/o-brasil-e-os-odm)

Com o lançamento dos ODS, à educação foram atribuídas 7 metas e 3 proposições. (Veja mais em http://www.agenda2030.com.br/) Para além do ODS de número 4, o termo educação aparece entre as metas de outros três Objetivos: o ODS 3 que defende a vida saudável e a promoção do bem-estar para todos; o ODS 8 focado no crescimento econômico sustentado, inclusivo e sustentável, emprego pleno e produtivo, e trabalho decente para todos; e o ODS 13 sobre tomar medidas urgentes para combater a mudança do clima e seus impactos.

Em especial sobre a promoção para a educação para sustentabilidade ou para o desenvolvimento sustentável, a Agenda 2030 estipula em sua meta 4.7:

“Até 2030, garantir que todos os alunos adquiram conhecimentos e habilidades necessárias para promover o desenvolvimento sustentável, inclusive, entre outros, por meio da educação para o desenvolvimento sustentável e estilos de vida sustentáveis, direitos humanos, igualdade de gênero, promoção de uma cultura de paz e não-violência, cidadania global, e valorização da diversidade cultural e da contribuição da cultura para o desenvolvimento sustentável.”

Um destaque positivo desta meta é que não há limitação de idade, o que nos leva a entender a necessidade de que a temática seja abordada em todos os níveis de ensino, alcançando maior número possível de alunos. Isto porque a sustentabilidade é uma atitude que exige uma mudança de comportamento não só na nossa maneira de avaliar processos de produção e consumo, mas principalmente na forma de encarar nossas próprias escolhas.

Desde o lançamento da Agenda 2030, o ISAE Escola de Negócios atua fortemente na promoção dos ODS tanto na gestão quanto em sua grade curricular, implementando projetos para os alunos em diversos níveis.

Há dois anos, os alunos bolsistas da graduação tecnológica em Processos Gerenciais a levarem a temática da Agenda 2030 para suas comunidades. Chamado Projeto Transbordar, a ação tem por intuito levar o conhecimento adquirido na sala de aula para as redes de relacionamento desses alunos, tornando-os protagonistas no processo de disseminação e sensibilização da sociedade em prol dos ODS.

Para os alunos de MBA, pós-graduação e especialização é ofertada uma disciplina avulsa sobre World Global Mindset na qual os alunos são convidados a refletir sobre a sustentabilidade nos seus três eixos em nível local e global. Já os alunos do Mestrado Profissional em Governança e Sustentabilidade são orientados a alinhar seus projetos de pesquisa aos ODS.

Por meio destas e outras atividades, o ISAE promove a educação para a sustentabilidade em variados níveis de qualificação sempre no intuito de envolver seus stakeholders e impactar a sociedade. (Saiba mais em https://www.sustentabilidade.isaebrasil.com.br/ )

Assim como defendido pelo grande professor e filósofo Paulo Freire, a educação não muda o mundo, mas sim as pessoas e são elas que irão transformar o mundo. Por isso, investir em uma educação de qualidade e no desenvolvimento de uma consciência voltada para o protagonismo ante às necessidades de melhoria de vida do planeta é promover a mudança que tanto precisamos para que os Objetivos do Desenvolvimento Sustentável sejam um plano possível de se alcançar.

 

*Barbara S. Przybylowicz Beuter é jornalista, especialista em Comunicação Empresarial e mestranda em Governança e Sustentabilidade no ISAE Escola de Negócios. Como Analista de Comunicação e Sustentabilidade no ISAE, atua com pesquisa e produção de conteúdos sobre educação para a sustentabilidade e na elaboração do Relatório de Sustentabilidade da Instituição seguindo as diretrizes da GRI – Global Reporting Initiative.


Os artigos aqui apresentados não necessariamente refletem a opinião da Aberje e seu conteúdo é de exclusiva responsabilidade do autor.