25.04
A água em pauta

Por Renata Ruggiero Moraes e Muriel Lana Bocayuva

O ODS 6 diz respeito à Água Potável e Saneamento – assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos. Os ODS, ou Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, são um conjunto de metas e tarefas a serem realizadas até 2030, criadas em 2015 por líderes mundiais na sede da ONU.

No Brasil, o cenário de falta de saneamento ainda se configura como um dos grandes desafios para o estabelecimento do bem-estar da população e da preservação do meio ambiente. Para equacioná-lo, o país precisará contar com a participação de novos atores no setor, assim como de novas soluções tecnológicas.

Segundo estudos do Instituto Trata Brasil, são quase 35 milhões de brasileiros sem o acesso a este serviço básico. 48% da população brasileira não tem acesso à coleta de esgoto. Cerca de 13 milhões de crianças e adolescentes não têm acesso ao saneamento básico e 3,1% das crianças e dos adolescentes não têm sanitário em casa.

Estas premissas nortearam a criação do Instituto Iguá de Sustentabilidade, uma iniciativa que nasce com uma missão ambiciosa:  contribuir para a universalização do saneamento no Brasil por meio da promoção da inovação e da educação para o desenvolvimento sustentável. Para isso, pretende desenvolver um modelo de investimento social privado autossustentável e que crie condições para potencializar seus impactos, através da criação de um fundo multissetorial, inspirado nos conceitos de Venture Philanthropy, com o objetivo de fomentar soluções voltadas ao ODS 6 (Água Potável e Saneamento). Também está prevista a criação de programas educacionais inovadores que possibilitem a valorização da água em todo o seu ciclo e criem incentivos para a mudança de comportamento do consumidor.

O Instituto Iguá de Sustentabilidade é uma associação sem fins lucrativos, de direito privado, que nasce de forma independente, atuando em sinergia com outras empresas, investidores e organizações da sociedade civil e governamentais, multiplicando o impacto de suas atividades e buscando formas inovadoras de resolver antigos problemas. O nome Iguá é uma referência direta ao universo de atuação da entidade: em tupi-guarani, “ig” quer dizer água.

Programa Aliança Água + Acesso

A partir de 2019, o Instituto Iguá passou a integrar a Aliança Água + Acesso, uma iniciativa de impacto coletivo que integra 14 organizações no país com o objetivo de contribuir para ampliar o acesso à água tratada e ao saneamento em comunidades rurais, de forma sustentável.

A participação do Instituto Iguá na iniciativa implica no investimento de recursos financeiros e horas de apoio técnico, com o envolvimento da equipe do instituto e da Iguá Saneamento. Além disso, haverá a participação na gestão e na governança da iniciativa, contribuindo com a mobilização para a causa e a atração de novos parceiros.

“A complexidade e a dimensão dos desafios socioambientais são tão grandes que nenhum ator conseguirá gerar impacto significativo atuando isoladamente. Com base nesta convicção, enxergamos na Aliança Água + Acesso um modelo inovador para ampliação do impacto social”, explica Renata Ruggiero Moraes, diretora-presidente do Instituto Iguá de Sustentabilidade, fazendo referência direta ao ODS 17 (Parcerias e Meios de Implementação) como fundamental para promover mudanças sistêmicas no cenário socioambiental.

Lançada em 2017, a Aliança Água + Acesso  já beneficiou aproximadamente 40 mil pessoas, de 100 comunidades distribuídas por oito estados brasileiros. Além do Instituto Iguá, o Instituto Coca-Cola Brasil também participa como co-investidor desde o início da iniciativa. Também integram a aliança a Fundação Avina,  a World-Transforming Technologies (WTT) e o Instituto Trata Brasil, como organizações de apoio, além de nove organizações sociais com ampla atuação em comunidades nas regiões atendidas: SISAR-CE, SISAR PI, Central de Associações (BA), Projeto Saúde e Alegria (PA), Fundação Amazonas Sustentável (AM), Cáritas de Pesqueira (PE), ABES-ES, ASPROC (AM) e CPCD (MG).

O Instituto Iguá é signatário do Pacto Global e integra a Comissão de Engajamento e Comunicação (CEC).

Renata Ruggiero Moraes é Diretora Presidente do Instituto Iguá, formada em Economia pela Universidade de São Paulo (FEA-USP) e com pós-graduação em Administração de Empresas pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). Ao longo dos últimos 19 anos, atuou como executiva a frente das áreas de Sustentabilidade, Comunicação e Desenvolvimento Organizacional de grandes empresas, tais como Banco Real (atual Banco Santander) e Racional Engenharia. Participou da criação da Ideal Invest, fundo de investimento de impacto, voltado para o financiamento da educação superior no Brasil. Também atuou na liderança de projetos de sustentabilidade junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e foi sócia-fundadora e presidente do Projeto LACE, organização sem fins lucrativos com foco no desenvolvimento de crianças e adolescentes por meio do lazer, arte, cultura e educação. Ao longo dos últimos 2 anos, assumiu a direção executiva do Instituto Reciclar, tendo sido responsável pela transição de seu modelo de atuação e pela gestão de seu fundo endowment. Atualmente, é Diretora Presidente do Instituto Iguá.

Muriel Lana Bocayuva é Coordenadora de Operações do Instituto Iguá de Sustentabilidade, formada em Administração de Empresas pela Universidade Paulista, com pós-graduação em Administração/Finanças. Ao longo dos últimos 10 anos, atuou em organizações como, Fundação Tide Setúbal e Criança Segura Safe Kids Brasil, nas áreas de Administração, Finanças, Mobilização e Parcerias. Atualmente, é Coordenadora de Operações no Instituto Iguá, que tem como missão a Universalização do Saneamento no Brasil, por meio da Educação e Inovação. 


Os artigos aqui apresentados não necessariamente refletem a opinião da Aberje e seu conteúdo é de exclusiva responsabilidade do autor.